sexta-feira, 29 de julho de 2011

Para refletir - amanhã eu penso nisso...


É amigas...

Último final de semana antes das crianças voltarem pras aulas (aleluia!!!), que canseira heim?! Mas faz parte... parte daquele momento de doar-se! De ser para eles... daqui a pouco passa... tudo passa. Aliás a vida dá voltas, voltas em torno dela mesma, e nessa somos meros espectadores, ficamos assistindo, mas temos que nos cuidar, pois temos que participar. Assistir sim, mas interagir é a senha!


Hoje em dia tudo é interativo, a gente consegue ainda lembrar quando crianças que a gente era educada para ver, servir, fazer... hoje a coisa está diferente, também podemos, e muito, sermos servidas..., vamos aproveitar a deixa, fazer parte da coisa, deixar a vida nos levar e ser feliz! Ah! A gente merece, e como! Acho que na maioria das vezes a gente fica triste porque faz tudo pra todo mundo e de repente o que acontece é que a gente não dá abertura para os outros fazerem por nós... quantas vezes vc se cobra de estar tudo perfeito, se desdobra, se estressa, de acaba, por qualquer coisa que seja, e no fim ninguém nem percebe que vc existe?!?!?! Cara! Vamos sair dessa, digo vamos porque tô dentro!


Papo Marisa: ontem mesmo eu estava enlouquecida para organizar, na minha cabeça, a mudança da minha mãe, não sabia por onde começar, como planejar, corri feito uma doida, já estava querendo jogar tudo pro alto... daí liguei pra minha irmã e disse a ela que eu precisava de uma luz, que eu não estava conseguindo pensar... foram duas palavras trocadas e pronto, tudo claro, tudo planejado!

É isso! Vamos dividir, pedir ajuda, pedir opinião! Cara! A gente não é perfeita! Se fosse não estaria nessa Terra!



Vc está com um problema? Passa pra frente, divide, sei lá. Ou, deixa pra pensar amanhã... tipo Scarlet O´Hara: Amanhã eu penso nisso.

Simples assim.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

domingo, 24 de julho de 2011

Amigas!



Amiiiigaaassss!

Cadê vocês??? Quero costurar! Quero conversar, rir e me divertir!

Caramba! Só fiquei na cozinha neste fim de semana... e vocês? Eu adorei, mas estou um caco!


Vamos combinar um encontro extra, pois trabalhando a gente se diverte!

Bjim

sábado, 23 de julho de 2011

Encontro do Clube



Mulherada!!!!!! Guarda a tralha que não vai rolar encontro!

É, povo... Não é que a vida preparou outra programação pro sábado da mulherada?!?!?!

Faz parte! No fim tivemos que adiar o encontro. De uma forma foi bom, assim a Marcia estará conosco! Eu, particularmente, vou conseguir fazer tudo o que deveria ficando em casa... bom, pelo menos espero conseguir!

Deixarei as amigas a par dos acontecimentos...



sexta-feira, 22 de julho de 2011

Próximo Encontro do Clube



Olá!!!

Nesta semana teremos um encontro especial! Isso mesmo ESPECIAL, pois teremos convidadas... Infelizmente a Marcia não estará presente - folga merecida! A gente perdoa - iremos receber amigas especiais, e elas é que vão dividir com a gente... o dia do encontro também será especial, não nos encontraremos hoje, ansiedade de lado, estamos arrumando a nossa "bolsinha" para o sábado.

Paninhos, agulhas, tesouras, dedais, linhas e linhas, botõezinhos, cortador, régua, lápis... será que falta alguma coisa??? Ah! O lanche! Claro! Porque mulher trabalhando precisa de muita água, suco e bolinho e biscoitos!



Allons, tout nous, travaille avec nos aiguilles!
Très délicieux...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Amigas - nossos anjos na Terra



Diz-se que HOJE é dia do amigo...

Mas eu acho que dia do amigo ou melhor, da amiga, é aquele dia que você acorda e pensa na amiga, se preocupa com ela e nem ao menos consegue ligar pra ela! Desleixo? Não. É a vida! Mas ela fica na memória em todos os segundos do dia... vc se preocupa, vc ouve uma palavra e se lembra dela, vc faz uma atividade e pensa nela... amiga de verdade é essa. Aquela que vc conta e ouve ao mesmo tempo, aquela que te ouve e te conta ao mesmo tempo, aquela que em duas horas vc coloca em dia anos de acontecimentos mesmo sem falar exatamente o que aconteceu... ela entende! É maravilhoso!!!

Amigas são as Andreias e as Marcias que a vida nos oferece com seus dias preciosos, que fazemos uma roda e dançamos do meio da tribulação, rimos das dificuldades e choramos de alegria!

É tudo de bom e mais um pouco!!!!

Então, hoje a gente pede, especialmente por todas as nossas amigas.


Anjo de Deus, que por divina bondade sois a guarda e proteção de minhas amigas. Sempre as reja, proteja e ilumine. Amém.


E vou te falar uma coisa, que serve em todo momento, pra mim, pra você e pra você:

  • Tudo passa.
  • Amanhã é outro dia...
  • É a vida... tudo pode acontecer...
  • Não se preocupe. Pense nisso amanhã!
  • Somos mulheres! Por incrível que pareça, podemos sempre mais, aguentamos sempre mais e PODEMOS nos curar!
  • Liga pra mim a hora que quiser.

................................................................................................................................................


Canção Da América

Milton Nascimento

Composição: Fernando Brant e Milton Nascimento
video

Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir

Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Para refletir - Síndrome do Ninho Vazio


Estive olhando os posts anteriores e vi que este assunto ficou em aberto, então busquei na net algum texto interessante que pudesse nos colocar a par do assunto de uma maneira saudável e otimista.


Pensando em nós, as Mulheres do Clube, todas as três, mega blaster apaixonadas pelos filhos lindos e maravilhosos, sempre fizemos o que a foto acima nos mostra, carregamos nossos filhos bem próximos a nós, e sentiremos profundamente as mudanças que a vida nos trará.

Na verdade ainda não estamos lá, pelo menos nós, as "meninas" do Clube, mas certamente chegaremos. No entanto, o fato de ter consciência nos ajuda a perceber e reagir, e ainda, em qualquer momento, algo pode acontecer, estamos na roda da vida!, e devemos estar atentas, não só conosco mesmas, mas com nossas mães e avós, pois, principalmente as mulheres são as que sofrem com este fato.


Assim, segue o início do texto que escolhi e o link para quem quiser continuar a ler.

..................................................................................................................................



Foram anos se dedicando a criação dos seus filhos até o dia em que eles resolveram cair no mundo. Na casa que antes era cheia de vozes, o silêncio passa a reinar. Não tem como evitar, este é o ciclo da vida. Mas para que você não se deprima diante do crescimento dos seus filhos, saiba como agir quando a síndrome do ninho vazio bater a sua porta.

O primeiro passo é entender que a síndrome do ninho vazio é algo pontual e que tem hora certa para acabar. "Pode haver uma base depressiva, mas a síndrome ocorre a partir de um evento, como a saída do filho de casa ou até mesmo a morte. E sua duração se estende do momento da separação até a inclusão de uma nova ordem familiar", explica a psicóloga Silvana Martani.

No entanto, de acordo com a também psicóloga Sueli Castillo, se essa tristeza se prolongar e for caracterizada também por uma falta de objetivos, a situação pode se transformar em depressão. Há ainda um agravante para as mulheres já maduras: a menopausa. "O período do climatério, culminando com a menopausa, afeta a mulher. Ela sente-se envelhecida, sua função reprodutora não existe mais, sua auto-estima abaixa, a imagem que vê no espelho não lhe agrada e sente-se muito fragilizada emocionalmente", descreve Sueli.

Características da personalidade também interferem na forma como a separação é encara. "As pessoas dramáticas sofrem mais, como em tudo na vida", afirma Silvana. E, segundo a profissional, ninguém se prepara para uma separação, mesmo que ela seja programada. "Todos sentem, mas quanto melhor tiver sido a elaboração da separação, melhor as pessoas envolvidas vão lidar com a dor", conclui.

A intensidade do sentimento de perda depende ainda de outros fatores, como por exemplo o motivo da saída do filho da casa dos pais. "Se a separação for por bons motivos, como casamento, faculdade ou mesmo para morar sozinho, desde que os pais participem do processo, tudo é mais tranqüilo. Mas se for dolorosa, por causa de brigas ou morte, o sentimento de dor dura mais", explica Silvana.



...............................................................................................

Beijo grande à todas as corajosas mulheres que se tornaram mães e já passaram por isso, em especial à minha mãe, que depois de ter uma casa cheia de filhos, sete, ficou só com o papai e agora este se foi, seu ninho realmente está vazio.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Para refletir - criatividade


Nesta semana talvez não tenhamos encontro do Clube, será uma semana de "Construção de Repertório", já falei disso em outro post. Vamos buscar técnicas, materiais e idéias para então projetar.
Isso se dá num Processo Criativo. Reproduzo a seguir, parte de um texto que montei para meus alunos do curso Educação Artística - Licenciatura Plena em Artes Plásticas há alguns anos.
........................................................................................

Processo Criativo

Enfrentar uma tela ou uma folha em branco sempre foi uma tarefa difícil, é neste momento que é preciso de IDÉIAS, e para isso é preciso pensar. O primeiro passo é criar uma atitude crítica em relação à realidade à sua volta, questionando tudo, inclusive você mesmo – como: o que lhe interessa, o que lhe agrada, preocupa, etc., e por quê. A realidade de cada pessoa é moldada pela sua cultura, educação, experiência e personalidade, fazendo a realidade de cada um única.

Não existe uma maneira correta de se expressar, cada um deve estabelecer seus próprios padrões, sendo autêntico, fiel aos seus pensamentos, intuições e emoções, isso não quer dizer que não sofrerão influências, pois o resultado dos pensamentos de hoje, é conseqüência das idéias do passado, numa contínua evolução.

O processo de evolução de uma obra acontece em quatro estágios: concepção (o que se deseja expressar – tema, e os objetivos), materialização (como se deseja expressar – técnica), interpretação (execução do trabalho – caligrafia) e re-interpretação (ato final – quando o observador “lê” sua obra).

O objetivo do artista é estimular o observador, provocar reações.

.....................................................

Pense nisso, talvez suas produções se tornem mais conscientes se vc estiver atenta às etapas de criação.

Bom trabalho!


domingo, 10 de julho de 2011

Receitas dos Bolos de Iogurte e de Claras



A Marcia disponibilizou as receitas dos bolos que comemos na sua casa.

Então, como havíamos prometido, aí vão elas.

Nesse friozinho nada como um bolo no forno para aquecer a casa e depois comê-lo ainda quente com uma xícara de chá! Que tal?


Bolo de Iogurte

4 ovos

2 copos de açúcar

1 copo de iogurte natural

½ copo de óleo

1 colher de fermento em pó

Bata tudo no liquidificador menos o fermento em pó, que é colocado por último, untar a forma com manteiga e açúcar cristal, se desejar, canela em pó.



Bolo de Claras


1 xícara de margarina

2 xicaras de açúcar

1 xicara de leite quente

1 colher de baunilha

3 xicaras de trigo

5 claras batidas em neve

1 colher de sopa de fermento

Bata a margarina com o açúcar e um pouquinho de leite pra ajudar a bater. Acrescente o restante. Reserve. Bata as claras em neve bem firme com uma pitada de sal. Depois misture as claras e o fermento com a massa, leve para assar em forno baixo, ligar o forno quando colocar o bolo.



Bom apetite!

sábado, 9 de julho de 2011

Para refletir - o papel de cada filho na constelação familiar


Como eu havia prometido, voltei para falar de um livrinho que apresenta em seu texto uma discussão bastante interessante – eu adoro, tive a oportunidade de estudá-lo na ocasião da minha pós-graduação, ele se chama "Irmãos e Irmãs", de Karl König (Editora Antroposófica, 1984), ele coloca os irmãos em ordem de nascimento e caracteriza-os basicamente. Logicamente existem variações de acordo com a cultura, vivências etc, mas na grande maioria das pessoas, as características básicas se repetem e podemos identificá-las.

Reproduzo, a seguir, alguns parágrafos, os introdutórios.

IRMÃOS E IRMÃS - Karl König

O primogênito é geralmente muito mais ligado aos seus pais do que os demais irmãos e irmãs. Tenta de maneira especialmente firme aderir ao mundo adulto ou transformar-se a si próprio num pequeno adulto. Demostra mais zelo, perseverança e direção que seus irmãos. Portanto, perde muito cedo o humor despreocupado da infância. Além disso, durante os anos posteriores o primogênito permanece um trabalhador árduo. Tenta acelerar sua carreira e, se possível, alcançar o topo da árvore.

Os segundos filhos são bastante diferentes. Em geral captam as coisas muito mais facilmente e são, por isso, menos rigorosos e esforçados. Tentam fazer o melhor da vida e desfrutar disso tanto quanto possível. Para o segundo filho a vida não é apenas uma tarefa a ser cumprida; é muito mais uma oportunidade para obter alegria, encanto e beleza.

Os terceiros filhos tem ainda um caráter diferente. São em geral os “excêntricos”. Não se misturam facilmente com outros, são contidos, autoconscientes e frequentemente difíceis de lidar. Mas tem outras qualidades. Suas mentes alcançam alturas, e algumas vezes eles são visionários ou líderes.

(KÖNIG, 1984, p.14)


Foi só uma degustação na intenção de tomar a atenção para o fato e identificar as diferenças nas crianças e em nós mesmos, assim como o papel de cada um na família… Pense nisso.

.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Oitavo Encontro das Arteiras


É isso aí! Oitavo encontro! Mas dessa vez foi na quinta feira.

Dessa vez, na verdade, não produzimos exatamente... fizemos algumas coisinhas, mas grandes produções não houveram. Colocamos o papo em dia, que nem me lembro mais, pois falamos de tanta coisa... mas sempre acaba sendo produtivo, se não materialmente, então psicologicamente.

Principalmente em época de férias, sabe como é... as mães ficam atordoadas... eu, particularmente, estou numa super boa, afinal, meu tempo de atordoamento por conta das férias já passou, meus pimpolhos, hoje com 28, 26 e 25 anos, já fazem suas próprias férias, e agora as do trabalho! Como o rumo da nossa vida muda junto com o crescimento dos filhos... ainda tem a tal história da Síndrome do Ninho Vazio, ou coisa parecida... ainda não estou com meu ninho vazio totalmente... dois ainda moram em casa conosco, mas certamente em breve isso mudará.

O tempo passou, mais tudo o que foi vivido está bem claro. Todos os passeios que eu acabava planejando, brincadeiras, musiquinhas, historinhas, bolos, pipocas, filminhos, desenhinhos (e olha que naquela época não era tão fácil assim!) e invenções mil, a fim de distrair a garotada em férias. Nossa, só de lembrar já cansei! Mas, faz parte, faz parte da escolha pela maternidade, parte do momento de doar-se pela vida de nossos filhos... Hoje vejo o que passei, os probleminhas que tive que engolir e comparo com meus meninos - o saldo é totalmente positivo, é claro que sou perdidamente apaixonada por meus filhos, mas eles são demais em tudo, e é aí que a gente tem de chegar, no ponto para olhá-los e apreciá-los com amor, vendo que o tempo dedicado a eles, em momento nenhum, foi em vão.

Bom, e o encontro?

Sei sei, acho que nosso papo rolou meio que por aí, falamos, depois falamos, e depois falamos, ah! e falamos também. Voltamos saltitantes pelo momento de partilha.

Colocamos em dia alguns acabamentos, a visita a feira, alguns moldes e detalhes, trocamos outras informações e quando vimos, o meu marido já estava buzinando no portão!

Agora a gente fica na espera do próximo encontro! Enquanto as crianças estiverem em férias, nossos encontros serão assim, depois, com umas horas por semana dedicadas a nós mesmas, voltaremos a produzir.


Em breve voltarei comentando um livrinho muito especial e postando as receitas dos bolos da Marcia, que desencantou!!! Acredite!

Até logo!


domingo, 3 de julho de 2011

Sexta sem encontro, mas com MEGA


Olá!!

Não tivemos encontro do Clube na última sexta... mas fomos à Mega Artesanal... Infelizmente não fomos todas, a Andreia não pode ir... lamentamos muitíssimo, mas como disse hoje à ela, faz parte... no entanto, ela esteve presente o tempo todo, pois não paramos de falar nela!

Então, fomos eu e Marcia com a companhia da Cris, minha nora. Cansamos demais, de doer, mas o saldo foi positivo! Fizemos nossas comprinhas, afinal, levamos nossas listinhas pra não sair da linha (sabe como é... tanta coisa incrível... a gente se perde e compra o que não devia, depois a grana não dá...).

Temos mais fotos, mas não estão comigo. Muitas ideias a serem ponto de partida para novos projetos, isso é ótimo! Na verdade, serviu como composição de nosso repertório criativo. Porque é assim, tudo o que criamos sai de nossas vivências, se não vivenciamos não temos material para que nossa criatividade trabalhe combinando-os uns com os outros e gerando novas possibilidades. Assim, toda e qualquer vivência, até mesmo aquelas que não percebemos, cada revista, filme, conversa, observação de trabalhos, da natureza, de tudo, tudo mesmo, é na verdade criação de um repertório, de vivências, que servirão como ponto de partida, como munição para nossas produções.

Se buscarmos na história, de toda produção artística ou cultural, observaremos que existem relações de similaridade, pois as vivências da época, os costumes, as possibilidades da era, marcam os indivíduos, direcionando essas produções. Temos uma grande diversidade de possibilidades, tipo técnicas, meios, caminhos, mas todos tem similaridades, que mostram as particularidades do período em que foram criados, criando uma identidade do povo criador. Se pensarmos em Arte fica ainda mais fácil de identificar. Veja, hoje, tudo é válido, aceito e avaliado em todos os sentidos, tudo é embasado por um conceito - já ouviu falar em arte conceitual? - se pensarmos no período do Impressionismo, por exemplo, as características eram outras, na pintura, escultura etc, veremos que essas características são similares e contínuas, modificando com o passar do tempo, e então entrando num novo período e consequentemente, num outro estilo artístico. Certamente teremos oportunidade de aprofundar esse assunto...

Enfim, a foto a seguir foi a que tirei quando desempacotei minhas coisinhas... mas temos fotos da feira, em breve as postarei.


Ah! Um ponto legal, conhecemos a Regina Moreno, do Ateliê Regina Moreno, conversamos, vimos seus projetos e adoramos! Tínhamos combinado de não comprar nenhum projeto dessa vez, pois não fizemos nenhum dos que compramos na outra feira, mas não deu. Nos apaixonamos pelos projetos da Regina e acabamos comprando um - UNS... agora é uma questão de honra, a gente tem que fazer pelo menos um!

Vamos combinar para tentar fazer uma visita ao seu ateliê. Ela é uma figura muito simpática e comunicativa, além de muito talentosa. Gostamos muito dela! Mais uma experiência para a composição de nosso repertório!